Porque lá em Portugal…

Adivinha o que meus amigos fazem quando veem alguma coisa sobre Portugal na Internet? Colam o link no meu Facebook, ou, então, me enviam por e-mail. Meus amigos encontram comigo e comentam sobre o programa “Muito Giro”, que passa no canal por assinatura Multishow, ou sobre as tantas reportagens que a Globo anda a fazer na terrinha – provavelmente a produção em Portugal tenha aumentado por conta dos estúdios em Lisboa inaugurados no final de 2011. Eles veem Porto, Lisboa e o Algarve inteiro na tv (ou na Internet) e querem comentar comigo. Tem gente que pede dica de viagem, mesmo sem ter nada planejado, enquanto outros aproveitam para esclarecer dúvidas do tipo: “Onde fica a cidade do Algarve?”, e eu tenho que explicar que o Algarve é uma região-muito-gira no sul do país.

Eu gosto de ser esse ímã de assunto sobre Portugal, até porque eu adoro aquele país. Sou até criticada por frequentemente iniciar frases assim: “Porque lá em Portugal…”. É irritante, eu sei. Parece esnobe, eu entendo. Mas o que eu posso fazer? Eu sei que tão cedo não devo voltar, então procuro curtir minhas lembranças da maneira que eu julgo a melhor: diariamente!

Hoje abri meu Facebook, e lá estava o link da versão fado da música de Michel Teló. Não sou muito fã do ritmo, mas custa nada dar um bizóiada. Até porque quem colou na minha wall foi uma amiga muito querida, a Laura, que, inclusive, me visitou quando eu morava no Porto. Detalhe que ela só inclui Porto e Lisboa no roteiro porque eu disse que Portugal valia a pena sim!

Anúncios

17 comentários

Filed under Portugal

17 responses to “Porque lá em Portugal…

  1. Manuel

    Isto prova uma coisa: é mesmo a letra da ‘coisa’ que é medíocre todos o dias, e ‘não tem jeito não’. Mas este acompanhamento com guitarra portuguesa está genial – o rendilhado da guitarra dá-lhe um toque de ancestralidade. Quem diria?!
    O fado também tem ritmos variados, por exemplo o ‘Barco Negro’ da Amália Rodrigues (sim Fernanda, aquela que já está morta e enterrada) tem um ritmo de percursão (utilizando a própria guitarra) que chega a ser tribal. Estas coisas não são velhas, mas sim vintage:

    E depois uma ‘versãozinha’ que não chega nem aos calcanhares, mas a qualidade lírica está lá toda:

  2. Pedro

    Só para dizer que o som da guitarra portuguesa é lindo, sei que soa a patriotismo mas ao vivo é mesmo qualquer coisa.

    Aproveita e diz que podem visitar Guimarães, capital europeia da cultura em 2012. 🙂

    Portugal não é so Lisboa, Porto e Algarve, tem tanto para ver que as pessoas nem fazem noção, desde gravuras rupestres até ao mais moderno. Acho mesmo que só se conhece a essência de um país quando se visita o património fora das cidades e se convive com a população que transporta o seu legado. E isso nenhuma crise económica nos pode tirar.

  3. Manuel

    Porque lá em Portugal…
    Deparei-me com isto hoje, no O Globo:
    “Lá e cá
    Parceira da coluna, de férias em Portugal, voltava de trem para Lisboa com o filho pequeno, terça, depois de um passeio em Sintra, quando uma gangue invadiu o vagão.
    Nossa conterrânea pegou o filho e saiu, mas dois integrantes da gangue foram atrás. Por sorte, ao entrar em outro vagão, ela deu de cara com policiais. Na estação seguinte, a gangue desceu do trem. Deve ser terrível… você sabe.
    Ainda Portugal…
    Os portugueses, sofridos pela crise, andam com inveja dos brasileiros.
    Muitos sonham em vir para o Brasil de olho nas oportunidades de emprego.”
    Fim de citação.

    Um orgão de comunicação social pode usar expressões como ANDAM COM INVEJA DOS BRASILEIROS ?! Mas que raio de merda de imprensa é esta??? O mundo bem que nos pode cair em cima, que a sociedade brasileira cilindra-nos só porque sim…alguma de coisa de muito errado se passa.
    Lamento, mas é assustador um país chegar ao top das potências mundiais com esta mentalidade. Já não são apenas os comentaristas analfabetos, abriu-se o jogo nos ‘colaboradores’.
    Fiquei f*dido.
    Ninguém faz nada? É permitido isto?!

    • Tiago

      Caga nisso. Encomodaste muito com o que os colunistas escrevem (deduzo que o seja, pela forma como escreveu e o tamanho do texto).

      Muitos deles são convidados para escrever e nem jornalistas são. E desses 90% nem escrever sabem (tem sempre alguém a rever-lhes o texto). Isso são opiniões pessoais, e a mim não me afecta minimamente.

      E se ele andou na Linha de Sintra foi porque quis (tem opções bem mais confortáveis). Os locais sabem perfeitamente que é uma linha perigosa… antes era mais:

      Agora, como até está escrito no texto, andam sempre policias nos comboios dessa linha.

      • Tiago

        E, por um azar, até pode ter sido assaltado por um conterraneo. 😛

        É que quem anda lá a assaltar são todos imigrantes ou filhos. Como se vê no vídeo! Sim, fui um pouco preconceituoso.

        E gostava também de saber como se descobre que aquela pessoa é um turista e BRASILEIRO.

      • fernandapugliero

        Olha, Tiago, para descobrir turistas brasucas é mesmo mto fácil. São sempre os mais bem vestidos, com roupas de marca e arrumadinhos. Turista europeu quase nunca anda assim. E não, eu não fui preconceituosa como você no meu comentário 😉

      • Tiago

        *incomodaste (nem reparei)

        fernandapugliero, o que escrevi foi só para dar exemplo. Porque quem o assaltou pode não ter sido um português invejoso. 😉

    • Cézar

      Manuel, percebi um tom infantil na “inveja”, se tal coluna for a do Ancelmo Goes,então relaxa, é o estilo dele essas picadinhas irônicas.

      Quanto aos brasileiros,acho que respondem ao que ouvem.O que chega aqui no Brasil,de Portugal, afora opinião de turistas endinheirados, artistas e quatrocentões da elite relacionados com seus pares jet setters portuguêses,é que a xenofobia é endêmica, e o racismo é tão espotâneo como dizer “olá”…

      E é positiva a entrada de portugueses no Brasil.Penso e anseio que porá uma pedra neste tema de uma vez por todas.Acho que a imprensa se incomoda porque a emigração brasileira frente à portuguesa, é ínfima, há portugueses natos de todas as estirpes no Brasil, e vivem como bem querem.Os números estão na web,não vou citá-los por risco de erro, mas diz-se que Portugal é o único país do mundo em que o equivalente a 50% de sua população vive no estrangeiro,algo,dizem os críticos, hiperbolicamente silenciado pela comunicação social portuguesa…

      • Manuel

        Silenciado? Não. O que acontece é que a contabilização de cidadãos também considera os descendentes que optam pela dupla nacionalidade – filhos e netos. Os números divulgados são de cerca 5 milhões, para cerca de 10,5 milhões de residentes. O número justifica-se atendendo à exiguidade do território, relações com as ex-colónias (que são laços e se constituem como opções), o exôdo durante o longo período da ditadura e a mobilidade promovida pela UE. É normal que um povo que viaja pelo mundo desde o século XV, que se disseminou desta forma, tenha muitos nacionais fora das suas fronteiras – porque as ligações ao mundo também são muitas. Isto sempre achámos normal.
        Tanto sabemos desta nossa condição que as TVs dedicam canais próprios – e no caso da RTP generalista longas horas de emissão – dedicadas à comunidades no estrangeiro. Também brincamos que tem de haver sempre um português no lugar mais recôndito do mundo e logo a seguir diz-se ‘onde mija um português, mijam logo dois ou três’.
        O que agora não achamos normal é um género de emigração promovida pelo Estado…sobretudo quando são pessoas altamente qualificadas. Mas aqui o próprio governo brasileiro tem feito uma grande campanha de marketing.
        Toda a gente conhece alguém no Brasil ou do Brasil. E durante muito tempo havia a ‘tradição’ de se fugir para o Brasil. 🙂 Pois como não há acordos de extradição…era ou uma vida de papo para o ar na praia, ou ficar a ver o sol aos quadradinhos na prisão.
        Os que vão agora, para além de procurarem um mercado maior e mais ‘aquecido’ também vão porque gostam realmente do país – porque aqui o Brasil sempre foi, de certa forma, glamourizado: simpatia, bom tempo tropical, suco de fruta…sol, praia e samba. Esta atitude é muito diferente dos que vieram para Portugal, com a cabeça cheia de ideias feitas e preconceitos e que por isso nunca gostaram e nem gostarão de Portugal e dos portugueses.
        Às vezes o mal está em nós, e não nos outros.

  4. Manuel

    O comboio é e continuará a ser a melhor forma de chegar a Sintra. E sim, é uma linha suburbana – eu sei que já foi bem pior, há sistemas de vigilância, e muito policiamento. Eu, na verdade, pensava que a linha já tivesse ‘limpa’ mas recomendo que se faça o recomendado: nunca viajar em carruagens vazias e de preferência sempre junto das câmaras de vigilância.
    Os ‘gangues’ são formados por menores de idade, ou seja, praticamente intocáveis. Andam nisto para comprar ténis e roupa de marca. A maioria é de origem africana, mas também há os ‘bollycaos’. O que acontece aqui não é muito diferente do que acontece num outro qualquer subúrbio urbano. Pode ser fruto da exclusão social ou pura delinquência. Mas não vamos jogar a carta da xenofobia…é entrar no jogo.
    Na verdade, nem foi a parte do gangue que me chocou: a polícia ia no comboio e por isso a coisa resolveu-se como devia. O que me irritou, profundamente, foi a parte a seguir, a da inveja e bla, bla, bla. Achei tão primário e perigoso que merece uma carta ao editor do jornal: há que haver responsabilidade sim! Um jornal não é um saco para se vomitar.
    É simplista, incentiva a xenofobia, não acrescenta nada e ofende. Ter inveja é uma coisa muito feia e reprovável. É o típico comentário para puxar outros comentários e na verdade eu caí na rasteira…
    Relativismo moral: lá pode-se fazer piadas e comentários a roçar a ofensa, e cá basta haver uma personagem brasileira na televisão com um comportamento moralmente ‘mais duvidável’ e fazem-se logo abaixo-assinados e petições.
    Eu até acho que o O Globo ou A Folha de SP podiam poupar algum dinheiro em colunistas e jornalistas. Bastava escreverem um artigo só com a palavra ‘Portugal’ e os leitores que comentam faziam o resto!
    Sinceramente, só não percebo a cena hipócrita da Globo – permite estas coisas e depois vem vender novelas…
    Whatever.
    Agora…não sei se estas coisas são assim tão ingénuas. É que este ano que passou, Portugal foi um dos destinos principais dos turistas brasileiros. E é um bocado ‘sacanagem’ estas tentativas de boicotar o nosso país. Que eu saiba há assaltos em qualquer capital europeia. E lembram-se de Londres no Verão?
    E a Fernanda tem razão! São sempre os mais arranjados…e estranhamente muitos têm uma fixação por ténis brancos, super imaculados!!!
    🙂

  5. Larissa

    É Fernanda vc quer gosta tanto de falar de Portugal poderia começar a falar das mortes de brasileiros que com frequência ocorrem por lá. Neste final de semana morreu mais um ( um tal de Emerson natural de Mato Grosso). Pela minhas contas essa já é a terceira morte recente de um brasileiro assassinato.

    • Manuel

      É…se este fosse o caminho elegido pela autora deste blogue, podia-se também falar dos delitos cometidos por brasileiros. Por exemplo, esta semana, e numa só noite, um brasileiro cometeu três assaltos e num deles matou um homem de 67 anos.
      A grande diferença aqui, é que os orgãos de comunicação social preferiram, na sua maioria, omitir a nacionalidade do criminoso – julgo que para evitar certos esteriótipos.
      Para certas pessoas estúpidas, a roçar o analfabetismo e mergulhadas na ignorância e no ódio xenófobo, haverão sempre uns que são os eternos ‘santinhos’ e os outros os eternos vilões.
      Mas este é um blogue do bem, escrito por uma pessoa esclarecida.
      Para esse tipo de discussão por certo encontrará muitos outros blogues, comentários de youtube, comentários em jornais…

      Isto é como nos Jedi: podemos escolher usar a força para o bem, ou para o mal.

      • Afonso

        Lá e cá. Que atire a primeira pedra o país que não tem ultras, skins, delinquentes ou simplesmente gente estúpida.
        Com ou sem estrangeiros, a ‘semente do mal’ está lá à espera de um motivo qualquer para rebentar. O ódio contra os estrangeiros é um mero pretexto.
        Acham que Portugal é o pior?
        Haviam de ver uma manifestação Neo-Nazi na Alemanha ou na Holanda e aí sim borravam-se de medo.

        P.S. Vi no outro dia o programa ‘Amor & Sexo’. A apresentadora é muito gira! Uma gata! Gostei do bloco no exterior…mas haviam lá uns termos que não são de uso corrente!

  6. Larissa

    Manuel,se os órgãos de comunicação social preferiram ocultar a nacionalidade do criminoso como vc sabe que ele é brasileiro? Vc está se
    contradizendo, além do mais aqui no Brasil muitos portugueses também cometem crimes, a maioria envolvido em tráfico de drogas, e nacionalidade deles também não são divulgadas – eu fiquei sabendo dos crimes por que pesquisei. Agora a morte de brasileiros por motivo fútil em Portugal já virou rotina, eu lembro que em outro post a Fernanda falava da segurança de Portugal em relação ao Brasil parece que essa segurança para os brasileiros não existe.

    e para os brasileiros jhbukikmmk

    • Manuel

      Porque tenho uma bola de cristal…não é óbvio?
      Eu escrevi: ‘Na sua maioria…’ Ora…
      Eu nunca disse que em Portugal é tudo santo…ou disse?! Farta-me é essa mania da perseguição: um crime contra um brasileiro tem sempre de ser um crime racista…e bla, bla, bla.
      Uma morte é sempre horrível e só o facto de eu comentar tendo isso como base já é moralmente deplorável.

      Agora para os do ‘ódio’: quem não gosta não come!

      P.S. Se se esforçar com muita, mas mesmo muita força, o que não lhe faltará é lixo para vasculhar, ou se preferir, para ‘pesquisar’.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s