Brasil 40°

Acordei com alguém me cutucando: “Senhora, senhora!”. Era tarde, e eu não dormia há pelo menos 24 horas. Logo que abri os olhos, mirei pela janela as luzes de Porto Alegre.

Acordei às quatro da manhã de sexta – horário português, equivalente a uma da madruga no Brasil. O voo aterrissou a meia-noite e meia – hora local, o que significa que já eram 3 e meia em Portugal. Para cruzar o Atlântico são necessárias 10 horas e meia no ar. O voo no sentido contrário da rotação da Terra é mais demorado. Ou seja, o caminho de volta será um pouco menor. A notícia boa é que voltei três horas no tempo por causa do fuso🙂

Aliás, parece mesmo que voltei no tempo. Ainda mais quando pousei no Galeão, aeroporto do Rio de Janeiro, que parece manter o estilo década de 70. Até o terno do pessoal da alfândega remonta à época áurea de Tom Jobim, que empresta o nome a um dos maiores aeroportos do país. A conexão de mais de seis horas passou voando, pois encontrei com a Débora – codinome Sumiliar -, que me fez compania enquanto eu a atualizava das fofocas lusitanas.

Depois do final de semana sem colocar o pé pra fora de casa – tô tão cansada, mas tããão cansada que só me apetece dormir! -, hoje verei se Porto Alegre ainda continua linda ¬¬ É estranho trocar casacos e mantas por shortinhos curtos. Suar quando se está em frente ao ventilador. E eu ainda consigui ficar gripada, mesmo tendo passado o inverno europeu imune ao vírus…

Enfim, verifiquei que o Faustão está mais magro, que o Pedro Bial agora usa aparelho fixo nos dentes e que a novela das seis é uma porcaria. Minha casa ainda é a mesma, meus cachorros me reconheceram e os amigos de fé são aqueles que primeiro vêm te ver. Ainda me sinto meio deslocada, como se num sonho. Parece que voltei no tempo e tenho minha vida antiga de volta. Olho para as coisas, e elas parecem não estar aqui. Coisa de Matrix, talvez.

Em dois dias comi tudo que senti falta no último ano. Docinhos de amendoím, salgadinhos de frango, comida italiana de verdade – mesmo em solo brasileiro! -, churrasco do papis e salada de batata com maçã da mamis. Voltarei a nado para Portugal, pois, assim que chego, tenho que começar a me preocupar com a nova temporada de verão que estará por vir…

Carne, carne e carne!

Carne e mais carne!

1 Comentário

Filed under Brasil

One response to “Brasil 40°

  1. Débora, a dona da máquina-cachorrinho-de-café

    Já disse que o terno deles é retrô !!!
    Tá na moda !!!
    hehehe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s