K.G.

E de repente chega o dia em que Kelly Guimarães parte dessa pra melhor – quero dizer, momentaneamente melhor. Abandona a malta em pleno inverno europeu e cruza o Atlântico em busca de sol, praia, cerveja e gajos bronzeados – se bem que pelas bandas de lá arranjam-se apenas guris, moços ou rapazes… gajos só em Portugal!

Lembro-me do primeiro dia que a vi, no quinto andar da reitoria sentada no chão. “Are you brazilians?”, eu perguntei. Nem precisei esperar a resposta. O sorriso gaúcho da Josi e a simpatia mineira do Vini logo revelaram a nacionalidade. O Felipe, que mais tarde virou meu companheiro de casa, me olhou com o canto dos olhos e fez que sim com a cabeça – típico dele, mas, até então, eu não sabia. A Kelly mal prestou atenção em mim. Nem tirou o fone do MP3… – que ódio que eu tenho de gente que prefere tecnologia à bate-papo real.

Enfim, geralmente eu costumo agradar mais as pessoas que não gosto, pois sinto que meus amigos de verdade não se importariam se eu os mandasse tomar no cu ou calar a boca. Encontrei com a Kelly no dia seguinte. Dessa vez, no corredor da sala da Susana Fragoso, responsável pela mobilidade dos estudantes das Ciências. A convidei para a almoçar – custava nada! Eu precisava de compania e tinha esperanças que aquela cara de cu não fosse sua expressão diária.

Rabugentismo desfeito, Kelly Araújo Guimarães logo se tornou minha melhor amiga, meu bichinho de estimação, professora, aluna e enfermeira. A chamo de mãe, mas na verdade ela está mais para irmã – a não ser que tenha tido filhos no jardim de infância… mas não é o caso! Já dormimos no mesmo quarto e hoje apenas uma parede fininha nos separa.

Kelly Araújo Guimarães, mais conhecida como K.G.

Ela é do tipo que não sabe falar baixo e chama atenção quando sobe no palco (da Gare!). Adora o Algarve, mas acho que isso se deve ao fato da região ser costeira, por isso arriscaria dizer que a paixão dela é por praias em geral. Kelly é autora de frases como “deixa a menina trabalhar” e “dá pra fazer”. Reproduz também as famosas como “vamô bebê porque amar tá difícil”.  

Hoje K.G. está no Brasil aproveitando o verão. Eu fiquei sem compania para matar o tempo vago. Apesar disso, creio que a distância seja saudável. É bom sentir saudades – principalmente das pessoas que posso mandar tomar no cu e calar a boca via messenger🙂

6 comentários

Filed under Vida Portuguesa

6 responses to “K.G.

  1. Rods

    É né… Kelly deixou a gente aqui passando frio e tomando vinho equanto ela tas quase sem roupa e tomando cerveja….
    O pior é Fernandinha fugindo dessa vida tbm…

    Bjo minha queridas

  2. Carol

    “Eu fiquei sem compania para matar o tempo vago. ” Obrigada, Fernanda… muito obrigada por não levar em conta minha presença… Fiquei chateada agora…

  3. Carol

    Após esclarecimentos, está perdoada hahaha

  4. Olá… Vi seu blog em uma comunidade de Portugal, até quando vc fika ai?? Eu estou indo pra lá em setembro estudar…
    Gostei muito daki…

    http://www.missssimpatia.wordpress.com é o meu😀

    Beijos

    Nay Back

  5. Kelly - KG

    AMEIIIIII
    Saudadesss amiga!
    Te amo viu!

  6. Pedro Duli Sipanela

    Pretendo que me nviasse todas mensagens que relata da nova tecnologia e mais.
    Para a Equipe, aquele abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s